Vídeo sobre a crise

19 outubro 2008

Minha professora de Economia nos encaminhou alguns links referentes à crise econômica mundial.

Dentre eles, tem esse vídeo* que gostei muito. O economista, e professor, Eduardo Giannetti da Fonseca (que não sei bem quem é, mas deve ser um cara importante!) fala do contexto com uma visão diferente e muitíssimo interessante.

Cita um filósofo do século XI dizendo que "uma pessoa caminha sem dificuldade por uma tábua estreita, enquanto acredita que ela está suspensa no solo. No momento que essa pessoa se dá conta de que esta tábua está sobre o abismo, ela vacila e despenca."

Concodo plenamente com a sua afirmação: "O mundo avançou em termos de tecnologia e prosperidade, mas ao invés das pessoas se libertarem, elas se tornaram escravas de suas realizações financeiras (...) Se nós tivéssemos realmente avançado com o objetivo de prosperar, estaríamos mais preocupados com outras questões da vida. É como se toda a nossa realização humana dependesse do sucesso nessa métrica muito questionável que é a métrica da riqueza."

*Não consegui inserir o vídeo na página do post

2 comentários:

Amauri Nóbrega disse...

Olá Rê,

Ficou legal essa sua template, muito boa, parabéns!!!

Em relação a sua concordância no último parágrafo. Eu discordo da afirmação. Não que somos escravos das realizações financeiras, é que precisamos delas para as outras coisas.

O sucesso se dará no equilíbrio, e é nesse ponto que pecamos muitas vezes. São 4 as dimensões da natureza humana: Física, Mental, Social e Espiritual. O erro é dar mais foco em uma e esquecer a outra.

Na dimensão física ou necessidade física, como queira chamar, tem o item saúde. Reza que temos que fazer exercícios regularmente, mas daí a ficar 7 dias por semana, de 3 a 4 horas se “matando” é outra coisa. Temos 24 horas por dia, então temos que equilibrá-las de forma que atenda as 4 dimensões/necessidades.

Em uma de minhas viagens, em um congresso, durante o coffee-break, se deu a seguinte situação.

Estava eu e mais 4 ou 5, não sei ao certo, conversando sobre imagem corporativa. Em um dado momento o assunto caminhou para condição física. Um fala uma coisa, outra fala outra coisa, até que um chegou e disse:

- Nesse ponto estou tranqüilo, corro 40 km por dia 7 dias na semana.

- Está treinando para ser maratonista? – questionou um colega.

- Não, faço isso porque com esse hábito, de acordo com pesquisas, vou viver 10 anos a mais que a média – respondeu cheio de razão.

- Mas para que isso, coisa de maluco, vai investir 20 anos da sua vida correndo para “ganhar” 10 anos ... tô fora – retrucou.

O sucesso se dará no equilíbrio entre as dimensões e os “papéis” que desempenha nessa vida.

Lá fui eu de novo filosofar ...

Beijão,

Amauri

*Renata disse...

Amauri,

Acho que generalizei. Acredito que o professor Eduardo se referia àqueles investidores, viciados na bolsa. Como ele fala no vídeo, existem pessoas que vivem em função da bolsa de Tóquio e nem se preocupam com o que se passa na sua vizinhança.

P.S. Adoro suas filosofias!