Mais selinhos e a Estória do 3 x 1

12 novembro 2008

Ganhei 2 selinhos do Ronaldo (obrigada!) e tenho a função de repassá-los:

bloggerdeldia Premio_Dardos

Pra mim, o blog del día é literalmente do Lino Resende. Aí vai um selinho de presente, já que hoje é seu aniversário!

O prêmio Dardos deve ser repassado a 15 blogs, mas escolhi apenas cinco. Espero que não tenha problema. Mando especialmente para:

O episódio das três contra um

Eu sempre fui daquelas que preferem ser independentes, que querem (e conseguem!) fazer tudo sozinha e que acredita no super poder das mulheres. Acho que quando nos unimos, não há homem que nos segure.

Hoje porém, conclui que existem ocasiões que devo desistir de bancar a feminista auto-suficiente.

Quarta-feira à tarde, no escritório, tínhamos uma árdua tarefa: uma pessoa viria buscar o ar condicionado que estava em uma das salas. Não havia tempo para chamar alum técnico e a ala masculina do escritório estava em São Paulo, visitando uma feira.

- Ah, eu acho que a gente consegue tirar. - A colega nº 1 sugere.

- Tá bom vai. Vamos tentar. - Eu concordei, sem ter muita opção.

Subi na cadeira porque o maldito ficava num buraco, no alto na parede.

Puxei... nada. Empurrei. E nada de novo.

- Espera. Vou te ajudar. - A nº 1 se prontifica.

Mais uma que sobe na cadeira. E fica na pontinha do pé, faz força, reclama, cansa.

Reuni todas as forças do meu corpo, que já estava cansado depois da aula de Body Pump de ontem (é... resolvi voltar na academia finalmente! Mas, isso é outra estória!) e...

...CLUNCK! Deu uma mexidinha. Minúscula. E depois de suar, xingar, lutar contra aquele peso, conseguimos fazê-lo sair um pouco do lugar.

- Querem que eu ajude? - A nº 2 aparece na porta.

Três fêmeas contra um ar condicionado brutamontes.

O resultado é que ele acabou empacando. Não ia nem pra frente nem pra trás. Ficou meio que pendurado, parecendo uma gangorra.

E o medo de terminar de puxar e ele cair nas nossas cabeças?!

- Ai, mais que bosta! (Perdoem-me... na hora do desespero e da irritação sempre solto palavrão. Ajuda a relaxar!)

A solução foi pedir socorro.

Bendita sorte lembrarmos da obra que está sendo construída lá do lado. Enquanto eu e a nº 2 segurávamos, a nº 1 foi buscar ajuda. E meu tríceps gritava, pobre coitado. Não está acostumado a trabalhar tanto assim. Ma-le-má dá um tchauzinho de vez em quando.

Os minutos pareceram eternos.

A gente em cima das cadeiras... até minha cabeça ajudou a segurar o trambolho pra ele não despencar.

O S.O.S.* tardou, mas não falhou. Finalmente!

Nada como uma boa dose de testosterona, pares de músculos e um orgulho masculino que morre de vergonha de fazer feio frente às mulheres!

* Curiosidade: você sabe o que signifca S.O.S.? Na verdade eu nunca tinha parado pra pensar. É uma sigla convencionada em inglês: "Save our souls", que significa "salve nossas almas". Era bem isso que eu estava pensando naquela hora, em cima da cadeira.

10 comentários:

Igor Garcia disse...

Rê do meu coração!!!

Adorei a história problemática e cômica! Logico que o orgulho masculino não ia deixar de fazer feio, ainda mais vindo de Construção. O cara carrega saco de 50 kg no lombo não vai carregar um ar condicionado? Facil, facil é só chegar!

Tive uma histórias parecida em casa ontem, mas muito problemática, nem deu para puxar para um lado humorísitico.

Amei demais da conta o selo! E desculpe pelo sumiço, meu temp tem corrido contra mim mesmo!! ;-)

Bjs n'alma e bom trabalho!

Nina disse...

Oi Renatinha, obrigada pelo selinho!

entao, nessas horas realmente homem faz alguma falta,rsrs

aqui em casa quem faz alguns servicos pesados sou eu, porque ele demooooooora, por ex, sou eu quem fura as paredes com furadeira, monto e desmonto as coisas, os móveis (pequenos e leves, claro!) programo os eletrônicos, enfim, mas carregar coisa pesada, nem vem.....

bjs querida, a gente se lê :)

Vanessa disse...

Oi, Renata, muitíssimo obrigada por esse selo. E pode passar pra 15 pessoas, então vou passar aos pouquinhos. E visitarei os demais que ainda não conheço.

Beijo

Cadinho RoCo disse...

Nego imaginar situação tão atrapalhada e que, definitivamente, não condiz com imagem que faço da Renata.
Cadinho RoCo

Georgia disse...

Renata, obrigada pelo selo. Obrigada por se lembrar de mim. Desciulpa nao ter vindo antes mas estou no maior corre-corre.

Bjus

Filipe Garcia disse...

Hehehehehe! Não adianta, Rê, os homens têm seu papel nessa colméia humana. Muito bom o texto e o tom de comédia!

Agradeço pelos selos, fico lisonjeado com sua demonstração de carinho. Às vezes, quando penso em desistir do blog, aparecem pessoas feito você que me fazem sorrir e eu volto a pensar: "tá bom, eu continuo a escrever!" Obrigado, de verdade!

Um beijo pra você.

Fernanda Pereira disse...

Oi Rêêêêê!!!

To aqui me esbaldando de rir... No escritório onde eu trabalho só tem um homem e ele trabalha de manha, quando rola "esforço físico" a tarde a gente chama um frentista do posto ao lado, na maior cara de pau...kkkkkkkk

Beiiijos

Cadinho RoCo disse...

Está até hoje se recuperando da situação do ar-condicionado?
Cadinho RoCo

Tatah Santini disse...

Ai, realmente há situações nas quais devemos contar com uma ajudinha masculina...
=D

Priscila Meds disse...

auahuaha
Aqui a gente passa a mesma coisa quando tem que por o galão de 20ltrs no bebedouro... são duas pra virar, uma pra encaixar no lugar certo! rs
mas a gente prefere mesmo é esperar que algum homem venha fazer avaliação... ai a gente pede o favorzinho...