[real world]

05 maio 2009

Ontem saí do trabalho com vontade de um chocolate. Passei no supermercado antes de esperar no ponto pela van. Caminhei rápido para fugir do vento gelado que estava na rua. Tinha chovido granizo à tarde e de repente esfriou.

Sabe quando você olha sem prestar atenção e depois vira para olhar de novo?

Vi, num canto escuro, uma pessoa deitada com um cobertor nas pernas, comendo numa marmita.

Resolvi seguir meus instintos.

- Boa noite.

- Boa noite. – ele respondeu.

- O senhor vai dormir aqui hoje? Está frio.

- Essa coberta é quente, não vai ter problema.

- O senhor quer um chocolate? – foi a primeira coisa que me veio à cabeça.

Ele não respondeu. Aceitou meu bombom prontamente. Decidi também dar a laranja que eu tinha na bolsa.

- Por que o senhor está aqui?

- Sou de Sorocaba e não consigo dinheiro para voltar pra lá.

Dei os R$5,00 que tinha na carteira. Me despedi e voltei para o ponto da van. Fiquei pensando o que levou um homem de meia-idade, com ótima aparência, bem educado, estar vivendo naquelas condições.

O caminho para a faculdade foi longo. Reparei que a situação de desigualdade do mundo me fez acomodada.  Me senti mal, sem saber o que fazer. Meu coração apertado lamentava, mas será que lamentar é suficiente?

P.S.: Contagem regressiva para os 25: faltam 4 dias.

10 comentários:

Fernanda Pereira disse...

Rêeee, vc é uma linda, sabe?

Me sinto a vontade pra te dar umas dicas, posso?

Vc sabe que eu trabalho em uma Ong e que já fui (e ainda sou) voluntária.

Tem AACC (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer) aí na sua cidade? Procure-os eles sempre precisam de ajuda, seja financeira, seja mão de obra voluntária.

Tem AACD ((Associação dos Amigos das Crianças com Deficiência), vivem a mesma história, as verbas do governo para eduicação especial é uma vergonha e às ir lá ajudar a organizar os brinquedos é tão importante e válido quanto um cheque gordo.

Doar sangue? Se inscrever para ser doador de medula óssea? Fazer uma limpa "de responsa" no seu guarda-roupa e doe as roupas para instituições sérias aí da sua cidade. (onde vc mora msmo?)

Não dê dinheiros a crianças na rua, ligue para conselho tutelar. Não chame crianças e adolescentes de menor.

Ihhh, Rê, tem um tantão de coisinhas bem pequenininhas que vc pode fazer, sem ocupar muito do seu tempo e que vai ser uma graaaande ajuda pra muita gente...

Qualquer coisa, me manda um email: fpfernandapereira@hotmail.com

Beijos Rêêêêê

PS: Pesquisa realizada aqui na minha cidade comprova que cerca de 70% dos moradores de rua tem família, a família tem casa e renda. É uma situação complicada...

Marcela disse...

Comovente esse tipo de coisa, como diz o título do post, esse é o mundo real.
Mas lamentar não é a única coisa a fazer não, e ainda bem que tu não lamentou somente, tu fez o que pode. Infelizmente eu acho que tu não tem dinheiro sobrando pra dar pro cara voltar pra cidade...

Abraços!

*Renata disse...

Fe,

Suas dicas foram muito bem vindas. Já anotei pra pesquisar sobre a AACC e AACD. Sou doadora de sangue e já me inscrevi para a doação de medula óssea no ano passado.

Sei que são coisas importantes a fazer, mas são pequenas, como vc disse, diante de situação real.

Estou tendo aula de Teologia e Cultura e Teoria das Organizações. Servem muito para reflexão e às vezes saímos da sala querendo revolucionar o mundo.

Você, muito querida como sempre :)

*Renata disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
*Renata disse...

Marcela,

Confesso que dei os R$5,00 que tinha na carteira para ele tentar voltar pra casa.
Mas, depois fiquei pensando se era por isso mesmo que ele estava lá.

Conversei com algumas pessoas (e como a Fer, aí em cima, disse) que trabalham com essa parte social que disseram que alguns moradores de rua possuem casa e família. Muitas vezes ficam na rua por opção ou por preferirem estar na rua do que voltar para casa e ter que lutar por uma vida normal novamente.

Complicado né?

Vanessa disse...

Sim, Renata é complicado. Mas até nesses casos em que a pessoa simplesmente não quer voltar para casa , uma ação social do Estado é importante. Assim como ser voluntário num projeto ajuda a gente a sentir que não está sendo tão inútil, cobrar as autoridades ações eficázes contra o estado de coisas colabora também.

beijos e superfeliz aniversário caso eu não possa aparecer no dia por aqui!!!

*Renata disse...

Obrigada pelo Parabéns adiantado, Vanessa!

Eduardo P.L disse...

Renata,

obrigado por SEGUIR o Varal!

Bjs

Seu blog esta ótimo!

Gisele Amaral disse...

Não basta só reclamar ou se lamentar: tem ue fazer mesmo! Procurar uma associação, uma ong, com trabalhos comprovadamente benéficos para a sociedade!

Que bom que esse acontecimento fez despertar em ti um sentimento maior dos que simplesmente tristeza ou dó. É assim que nascem as grandes iniciativas: ultrapassando o simples sentimento,

Adorei tua atitude, querida! Agora, mãos à obra!

Beijos.
=*

dácio jaegger disse...

Renata, tudo de bom! Um mendigo, um morador de rua,jamais um é igual a outro. Todos vieram de uma família? Nem sempre! Hoje há aglomerados de infelizes alcoólatras e toxicômanos gerando uma troupe de parecença. Obrigação de governo, enquadrar e buscar resolver este desequilibrio. Muito se faz, mas eles aumentam como cogumelo. Ficamos penalizados, constrangidos e envergonhados, afinal são seres humanos. Há cidades, como Niterói, em que o poder público municipal em 2008 andou com choques de ordem melhorando o panorama geral sem chegar ao paraíso. Bjos